Rascunhos para a RESINA – 3

Silenciar / Soneca

A simetria, de tão conhecida,
(Ih…Já é tão, mas tão tarde…)
não mais me assombra.
Toda finta e investida é perdida
no contínuo combate
com esse gêmeo que me sonda,
rude ressaca sem onda
(numa praia basáltica sem fim),
duplo, triplo, quadruplo que me ronda,
esse recorte ruim de mim
que é a minha sombra.

Anúncios

Rascunhos para a RESINA

Resina é uma revista literária que um dia virá à luz. Por ora é um projeto meu e de Pedro Furtado (aceitamos outros colaboradores!). Cada edição terá textos (pode ser qualquer coisa, mas por agora pensamos em poesia) gerados a partir de uma palavra sorteada dentre várias escolhidas minutos antes. A palavra da vez é sombra.

Quase

corre pelo chão,
na horizontal
(projeção
quase
igual),
de encontro
à original,
a sombra
da folha
que cai:
(quase)
como o filho
pequeno
(e aflito)
aos braços
do pai.